A mudança dos tempos: Rainha de Inglaterra abandona o uso de peles animais.

LONDON, ENGLAND - MARCH 16: Queen Elizabeth II smiles as she departs after officially re-opening the The National Army Museum on March 16, 2017 in London, England. The Museum has undergone a 3 year £23.75 million re-development (Photo by Leon Neal/Getty Images)

As peles são símbolo de status na corte Britânica, mas o guarda-roupa da rainha vai a partir de agora adaptar-se aos tempos. A Rainha de Inglaterra tornou-se assim livre de peles animais e as alternativas falsas vão substituir todas as outras. A conselheira pessoal da Rainha, Ângela Kelly, que pertence à casa real há 25 anos revelou assim a mudança no seu livro pessoal de memórias “The Other Side of the Coin: The Queen, the Dresser and the Wardrobe”.

A partir de 2019 em diante, se a Sua Majestade participar num compromisso em tempo particularmente frio, peles falsas serão usadas para se certificar de que ela permanece quente”, escreveu ela.

O guarda-roupa da Rainha de Inglaterra tem estado debaixo de fogo por parte dos ativistas da causa animal, que aplaudiram esta medida de pé:

“Estamos emocionados que a Sua Majestade tenha oficialmente deixado o uso de peles. A decisão da rainha Elizabeth de “go faux” é o reflexo perfeito do humor do público britânico, a grande maioria dos quais detestam crueldade animal, e não querem nada a ver com isso”, disse Claire Bass, Diretora Executiva da Humane Society Internation.

Lembramos que grandes nomes da moda abandonaram o uso de peles nos últimos anos, incluindo Burberry, Belstaff e Versace.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here