Dicas para ser um Vegan saudável!

Por Filipa Silva
Saúde Macro - geral@saudemacro.pt

Algumas dicas retiradas da edição da Weggan de Junho.

Subscreve para ler na integra 

1 – Comer de forma simples: opta por alimentos o mais natural possível e foge dos refinados, como o pão branco, as batatas de pacote e todo o tipo de fast food. Ao lanche, opta por tiras de cenoura ou de pepino ou por uma peça de fruta da época acompanhada de sementes ou de oleaginosas (amêndoas, avelãs, nozes, entre outras).

2 – Os vegetais devem ser o centro das refeições: os vegetais (como as couves, as raízes, as abóboras, entre outros) são ricos em vitaminas, fibras e minerais e ajudam a prevenir vários problemas oncológicos. Uma refeição principal deve ser composta, regra geral, por 50% de vegetais, sendo que a sopa não conta para esta proporção.

3 – Se come vegetais provenientes da terra, por que não comer também vegetais do mar, as algas? As algas são ricas em iodo, essenciais para quem não come produtos de origem animal. Há uma larga variedade (kombu, nori, wakame, hiziki,…) e podes incluí-las na sopa, em saladas ou fazer sushi vegano com a alga nori.

4 – Inclui os picles nas refeições principais: estes favorecem o bom funcionamento intestinal, desde que não incluam açúcar ou álcool nos seus ingredientes. Devem ser consumidos diariamente, em pequenas proporções.

5 – Come alimentos com potencial de gerar vida, ou seja, se os semeares, estes germinam: os cereais integrais e as leguminosas (feijões, grão, lentilhas), enquadram-se aqui. Combinar estes dois tipos de alimentos, é uma combinação que fornece toda a proteína necessária, e há uma grande variedade de receitas que podes encontrar para as diferentes refeições do dia. Nota que os cereais que já passaram por algum tipo de processamento, como o arroz branco, já não têm este potencial.

6 – Come produtos locais e da estação do ano em que te encontras: de acordo com a filosofia oriental, a natureza fornece-nos os alimentos necessários para sobrevivermos no local e na estação do ano em que nos encontramos, pelo que comer de acordo com esta regra cria uma adaptação do nosso meio interno ao meio externo. Por outro lado, os alimentos da estação FOTOGRAFIA: DARIA SHEVTSOVA do ano têm mais minerais e vitaminas do que os produtos de fora de época, que são refrigerados para conseguirem chegar até nós. São também mais sustentáveis e apoiam a biodiversidade regional. Posto isto, estando em Portugal, sugiro- te que troque as mangas pelas maçãs.

7 – Come alimentos biológicos tanto quanto possível: estás, simultâneamente, a enriquecer o corpo com antioxidantes, como contribuir para diminuir a poluição dos solos.

8 – Varia muito, muito, muito: variar na alimentação é como variar nas experiências que temos na vida: trazem-nos riqueza interior e saúde. Os mercados e as lojas de produtos biológicos têm geralmente mais variedade do que as grandes superfícies. Vai à aventura e surpreenda-te.

9 – Estuda, lê, informa-te: mantendo também a premissa da simplicidade e da auto experimentação. Cada ser humano é único. Só tu conheces o efeito de uma maçã no teu corpo e se não experimentares, com conta, peso e medida, serás refém das experiências dos outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here